Escolas de surfe facilitam a vida de quem quer aprender a pegar onda

Conseguir ficar de pé na prancha dá uma sensação de vitória. O que dizer então da liberdade em conseguir pegar uma onda: inigualável. O surfe é um dos esportes mais apreciados no verão, mas se você não tem a manha dessa prática ainda há tempo de aprender e pegar boas ondas nesta temporada.

A Associação Catarinense de Escolas de Surf (Aces) tem aproximadamente 70 escolas cadastradas em Santa Catarina, sendo 30 delas só em Florianópolis. Uma dessas escolas é a Floripa Surf Club que fica na Praia Mole, Leste da Ilha de Santa Catarina, e conta com cinco orientadores de surfe.

As aulas são ministradas em português, inglês e espanhol, para atender a todos os turistas. O pacote básico, conforme explica o orientador Leonardo Lopes, é de quatro aulas de uma hora e meia cada. Com esse tempo, o aspirante a surfista já consegue ficar em pé na prancha e pegar umas ondas.

Quem tem medo não precisa se preocupar, as primeiras aulas são em terra. O aluno faz alongamentos, tem aulas teóricas, aprende a remar e subir na prancha. Depois, orientador e aluno partem para o mar, com água pela cintura.

O gaúcho de Canela, Gabriel Oliveira, 9 anos, gostou tanto das aulas que já está praticando na escola pela segunda temporada. Ele e o pai fazem as aulas juntos sempre que visitam a Praia Mole. O garoto garante que já pega ondas com segurança e diz que se sai melhor que o pai.

A aula particular custa R$ 75 e a em grupo, a partir de duas pessoas, R$ 50. A escola também incentiva a prática do surf em horários de sol mais fraco, como no entardecer. Nesse período, o valor das aulas é o mesmo, mas a duração de duas horas.

O presidente da Aces, Roger Souto, destaca a importância de procurar um local cadastrado na associação para fazer as aulas, pois esses têm profissionais devidamente registrados no Conselho de Educação Física. A lista completa de escolas pode ser consultada no site da Aces.

Fonte: ClicRBS