Odisseia para curtir a Ilha | STAND UP PADDLE

Dupla quer difundir na Capital a modalidade, que faz bem à saúde e resgata o espírito de confraternização

Contornar a Ilha de Santa Catarina em pé, sobre uma prancha impulsionada a remo e com ajuda das correntes marinhas. Este é o plano do brasiliense Marco Antônio Gorayeb, 48 anos, e do catarinense Roger Souto Mayor, 40 anos, que pretendem difundir a modalidade na Capital e conhecer melhor a Ilha.
Ex-técnico de surfistas profissionais, Marco Antônio Gorayeb encontrou no stand up paddle (SUP) a fórmula para superar uma artrose no quadril e um câncer. Gorayeb morou 20 anos na Ilha e retornou para mostrar o que aprendeu no Lago Paranoá, em Brasília, onde começou a praticar o SUP.
A ideia da aventura, logo batizada de Odisseia, surgiu há cinco meses e teve a adesão do amigo Roger Souto Mayor, professor da escola Floripa Surf Club.
– A gente quer ter um outro ponto de vista da Ilha e apoiar a jornada de superação do Gorayeb – justifica Roger.
Com os pescadores, a dupla buscou informações como a direção das correntes marítimas na parte continental e a necessidade de usar o vento como aliado no lado leste, onde o mar aberto exige mais.
– Precisamos ter a condição certa para chegar até a ponta de Naufragados. Não podemos lutar contra o mar – conta Gorayeb, que arrisca marcar a aventura para esta quinta-feira, dia 28 de abril.
A dupla prevê remar até 40 quilômetros a cada seis horas, para percorrer em um dia os 125 quilômetros de percurso. A aventura ainda terá outros convidados como o brasiliense Rafael Maia, 25 anos.

Saiba mais
O PERCURSO
– São dois pontos de partida programados: a Praia do Forte, no Norte da Ilha, e a Praia de Naufragados, no Sul da Ilha.
– O local de partida será definido de acordo com as previsões do vento. Se soprar na direção sul, a largada será na Praia de Naufragados, em direção à parte continental. Se o vento soprar na direção nordeste por três dias, a largada será na Praia do Forte, pelo lado leste da Ilha.
– Ao todo serão 125 quilômetros de remada para os aventureiros.
FIQUE POR DENTRO
– O stand up paddle, conhecido como SUP, é um esporte que surgiu no Havaí.
– Para praticá-lo, o atleta precisa de um prancha específica (mais larga e resistentes do que a de surfe, e que custa R$ 2 mil em média) e um remo específico (leve, feito de fibra de carbono).
– A modalidade pode ser praticada em qualquer lagoa ou praia com águas calmas, para realizar passeios ou travessias de longa distância e surfar desde marolinhas até grandes ondas.

Acompanhe toda tragetória no link: http://www.facebook.com/home.php#!/profile.php?id=100001238267561

Fonte: diariocatarinense
Por: CRISTIANO RIGO DALCIN
cristiano.dalcin@diario.com.br

Veja todos os detalhes do projeto, os participantes e empresas que estão apoiando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *