2010
11.10

A organização do Brasil Surf Pro, o Campeonato Brasileiro de Surfe Profissional, criou um termo de compromisso com dez mandamentos para o surfista sustentável. O termo foi assinado por mais de 60 surfistas na segunda etapa do BSP, na Praia do Cupe, em Ipojuca (PE). O documento tem o objetivo de comprometer os atletas com o tema da sustentabilidade.

Confira os 10 mandamentos e as suas respectivas reflex√Ķes:

1.    Cuide do seu lixo ‚Äď Se estiver dentro da √°gua ou na praia recolha o lixo e deposite-o na lixeira. Cuidado especial com sua parafina usada, nunca descarte-a na areia da praia.  Sempre que poss√≠vel recicle, principalmente em casa!

Isto √© muito importante, mas j√° n√£o √© suficiente. N√£o podemos mais virar os olhos para os erros dos outros. Se algum turista desavisado ou nativo mal educado proceder de forma a sujar a praia ou locais de dif√≠cil acesso, junte este lixo. Leve sempre contigo as sacolas do mercado que voc√™ n√£o deveria pegar, mas por falta de costume acabou pegando,  coloque este lixo dentro do saco para enfim, este saco, ser uma solu√ß√£o ao inv√©s de um problema.

Com a parafina o ideal seria criarmos centros de coleta, locais onde os surfistas mais frequentam poderiam ter um recipiente de coleta deste material que poderia ser utilizado em outros fins mais nobres como artesanatos ou cera para madeira.

‚ÄúTente mover o mundo – o primeiro passo ser√° mover a si mesmo.‚ÄĚ
Plat√£o

2.    Preserve a vegeta√ß√£o nativa da praia ‚Äď Cuide bem, pois ela garante a biodiversidade e evita a eros√£o na praia. Seja proativo, em √°reas degradadas plante esp√©cies nativas do bioma.

Além de tentarmos ao máximo não interferir com a vegetação nativa, devemos passar esta atitude para frente e não deixarmos que outros conhecidos ou turistas interfiram neste bioma ou façam fogueiras na praia, cedo ou tarde este material será usado para alimentar o fogo.

‚ÄúA base de toda a sustentabilidade √© o desenvolvimento humano que deve contemplar um melhor relacionamento do homem com os semelhantes e a Natureza.‚ÄĚ
Nagib Ander√°os Neto

  3.    Mobilize as associa√ß√Ķes de surf  locais ‚Äď Estimule sempre que poss√≠vel as pr√°ticas respons√°veis com rela√ß√£o ao meio ambiente costeiro principalmente durante a realiza√ß√£o de campeonatos. Os eventos s√£o uma plataforma para comunicar, sensibilizar e educar o p√ļblico, fa√ßa a sua parte.

Temos que pensar fora da caixa, al√©m de surfistas e parceiros, devemos interagir com outras entidades locais ou mesmo de outras regi√Ķes. Trazer para perto do surf conhecimento de bi√≥logos, ocean√≥grafos, ambientalistas, artistas. Criar eventos multidisciplinares agregando todo o tipo de conhecimento poss√≠vel. O custo disto pode ser alto, por isto envolver √≥rg√£os municipais ou escolas para somar for√ßas.

‚ÄúAprender √© mudar posturas.‚ÄĚ
Plat√£o

4.    Contagie o seu patrocinador nessa luta -  Estimule pr√°ticas sustent√°veis dentro da industria do surfe. A sustentabilidade j√° √© uma realidade, fa√ßa as escolhas certas.

O patrocinador poder√° fortalecer muito mais a marca apoiando estas iniciativas e ter√° maior visibilidade para dentro e fora do mundo do surf. Crie oportunidades para que o patrocinador possa ter mais visibilidade e tornar mais ampla a parceria.

‚ÄúNingu√©m pode achar que falhou a sua miss√£o neste mundo, se aliviou o fardo de outra pessoa.‚ÄĚ
Charles Dickens

5.    Seja um surfista amigo do planeta ‚Äď Procure saber como voc√™ pode neutralizar os gases de efeito estufa e se tornar um surfista carbono neutro. Os quil√īmetros percorridos nas viagens de carro, voos ou barcos emitem CO2 e contribuem para o aquecimento global. Ande sempre que poss√≠vel de bicicleta, a p√© ou use transportes p√ļblicos.

Seja mais solidário. Entre em contato com amigos para dar carona, informar qual é a melhor praia para prática no dia e vão juntos, afinal em um carro cabem 5 pessoas. Caso não faça isto vocês dois se encontraram no mesmo local, saindo do mesmo destino e consumindo a mesma quantidade de combustível e tempo, sendo que isto poderia ser dividido em duas, três ou quatro vezes.

‚ÄúA consci√™ncia √© o melhor livro de moral e o que menos se consulta.‚ÄĚ
Blaise Pascal

6.   Seja um exemplo ‚Äď Envolva-se em causas socioambientais na sua cidade. Empreste a sua imagem a essas causas e denuncie impactos e agress√Ķes ao meio ambiente. D√™ o exemplo!

N√£o podemos mais esperar que o poder p√ļblico nos atenda, temos que arrega√ßar as mangas e lutar por tudo que nos √© direito e por ideais de valor comum. Somente quem vive no local sabe dos problemas mais comuns. Encontre solu√ß√£o e quando pedir apoio de algum √≥rg√£o p√ļblico chegue j√° com um planejamento do que seria ideal para solu√ß√£o.

Tenha um pensamento global e aja localmente. Tenha um pensamento local e aja globalmente.

‚ÄúSe fracassar, ao menos que fracasse ousando grandes feitos, de modo que a sua postura n√£o seja nunca a dessas almas frias e t√≠midas que n√£o conhecem nem a vit√≥ria nem a derrota.‚ÄĚ
Theodore Roosevelt

7.    Confira se o fabricante da sua prancha √© eco-correto – A maioria dos shappers n√£o destinam os res√≠duos da fabrica√ß√£o das pranchas de forma correta, eles s√£o altamente t√≥xicos ao meio ambiente. Procure se informar, cobre uma postura correta.

Comece a se relacionar com profissionais que tenham conduta correta e fornecem um destino digno para seus res√≠duos, se apoiarmos que polue estamos contribuindo ou sendo c√ļmplices da agress√£o praticada. √Č como ser conivente com a atitude incorreta, e isto n√£o √© correto.

O desenvolvimento tecnol√≥gico e a biodiversidade t√™m crescido, respectivamente, em propor√ß√Ķes inversas nos √ļltimos s√©culos.‚ÄĚ
Rinaldo Pedro

8.   Seja um surfista verde ‚Äď Pratique o consumo consciente no seu dia √† dia. Comece com o simples ato de retirar da tomada todos seus equipamentos eletr√īnicos quando sair para surfar ou viajar. Diga n√£o ao pl√°stico, use somente sacolas reutiliz√°veis. A sua atitude faz a diferen√ßa.

Estenda esta atitude para sua fam√≠lia e amigos, voc√™ pode at√© ser tachado de ‚Äúbiodesagrad√°vel‚ÄĚ, mas no fundo de seus pensamentos, eles sabem que tem raz√£o e v√£o apoiar. √Č muito dif√≠cil mudar centenas de anos de uma cultura consumista e um comportamento herdado de gera√ß√Ķes e gera√ß√Ķes e que vem causando um grande impacto sobre o planeta e o meio ambiente. Mas n√£o √© imposs√≠vel.

‚ÄúUma grande jornada come√ßa com o primeiro passo.‚ÄĚ
Provérbio Chinês

9.    Pratique o turismo sustent√°vel ‚Äď Hospede-se sempre que poss√≠vel em hot√©is e pousadas que utilizam recursos naturais como energia solar, capta√ß√£o de √°gua da chuva, reaproveitamento de √°gua do chuveiro para uso sanit√°rio e coleta seletiva do lixo. Pesquise pois essas op√ß√Ķes existem!

√Č necess√°rio um outro tipo de vis√£o para se construir um ambiente sustent√°vel. Precisamos prestigiar estas iniciativas e vivenciar um pouco deste experi√™ncia que pode ser muito enriquecedora, apesar de custar um pouco mais, vale a pena pelo conhecimento de novas ideais de se relacionar com a natureza.

“Hoje existe um consenso mundial de que o turismo tem de firmar-se em quatro pilares:

· O ambiental é a principal fonte de matéria prima dos atrativos;

¬∑ O social, e a√≠ se entende em sua abrang√™ncia, a comunidade receptora, o patrim√īnio hist√≥rico-cultural e a intera√ß√£o com os visitantes, ao mesmo tempo em que eleva o padr√£o de vida e a autoestima dessa comunidade;

¬∑ O econ√īmico, com todos os inter-relacionamentos e interdepend√™ncias da cadeia produtiva, permitindo sua articula√ß√£o com a identifica√ß√£o correta de suas unidades de produ√ß√£o e de neg√≥cios para estabelecer uma rede de empresas a fim de atuar de forma integrada, proativa e interativa, obtendo n√≠veis de comparatividade e produtividade para o alcance de competitividade;

· O político, que se instrumentaliza mediante estratégias de gestão que possibilitem coordenar as iniciativas locais na criação de um entorno emulativo de produção, favorecendo o desenvolvimento sustentável.

Abrang√™ncia do turismo sustent√°vel envolve: compreens√£o dos impactos tur√≠sticos; distribui√ß√£o justa de custos e benef√≠cios; gera√ß√£o de empregos locais diretos e indiretos; fomento de neg√≥cios lucrativos; inje√ß√£o de capital com consequente diversifica√ß√£o da economia local; intera√ß√£o com todos os setores e segmentos da sociedade; desenvolvimento estrat√©gico e log√≠stico de modais de transporte; encorajamento ao uso produtivo de terras tidas como marginais (turismo no espa√ßo rural); subven√ß√Ķes para os custos de conserva√ß√£o ambiental.‚ÄĚ

(MARIO CARLOS BENI, Doutor e livre docente em turismo)

‚ÄúA consci√™ncia √© a estrutura das virtudes.‚ÄĚ
Francis Bacon

10.    Provoque e multiplique essa consci√™ncia planet√°ria com seus amigos e sua fam√≠lia. Fa√ßa parte dessa corrente, n√£o seja um haole.

 

 

“Trabalhar com sustentabilidade
√Č plantar um presente que garanta a subsist√™ncia das novas gera√ß√Ķes
Num planeta que pede socorro e se aquece a cada dia.
Pois melhor que plantar √°rvores, despoluir rios, proteger animais,
√Č semear a consci√™ncia de que a garantia da vida √© respeitar as fronteiras da natureza.‚ÄĚ
Nildo Lage

Fonte: Escolas de Surf ACES

Bookmark and Share

Sem Comentário.

Incluia seu Comentário

escola de surf, surf treino, campeonato, surfschool, praia mole, surf, surfing, floripasurfclub, floripa surf club, competicao, surf avancado, surfari, surf tours, suporte tecnico, carentes, consultoria, florianopolis, Surf School, surf training, championship, surfschool, soft beach, surf, surfing, floripasurfclub, Floripa Surf club, competition, surfing advanced, Surfari, surf tours, tech support, poor, consulting, standup, paddle

surfista surf escolinha onda aulas escola surfschool school floripa florianopolis SC Santa Catarina Brasil Brazil diversao prancha pranchas surfar fotos surfing board turismo esporte praia mole cursos lazer praias praia saude surf camp